Skip to content

Sobre os Protestos em Teresina (Riots in Teresina, in portuguese)

September 2, 2011

Discussão que tive com uma arquiteta (via book of faces) sobre o significado dos protestos estudantis que estão acontecendo em Teresina por conta do aumento das passagens de onibus. Ela pediu permissão para colocar no seu blog, o que estou fazendo também. Omiti os comentários iniciais de pessoas que não me deram autorização para reproduzir aqui…

O comentário inicial foi uma alegoria sobre a queima do onibus que ocorreu hoje (galeria de fotos pessoais no fim)… Segue a discussão:

Erick Passos no RJ fazem isso a anos. O serviço continua péssimo, sem integração alguma, e a passagem é bem mais cara. Massa de manobra + instinto gregário + pouco dicernimento = …

Larissa Tollstadius – Erick, não acho que o serviço de ônibus no rio continue o mesmo de sempre não. Aliás a cidade de um modo geral, pra o que era nos anos 90, pra como tá agora melhorou. O trasnporte é mais caro, mas também os percursos são maiores. Beleza que a última vez q eu andei de ônibus no rio foi num percurso “privelegiado”…

Colocar em risco a vida de pessoas inocentes? Sim o policial que desceu armado do carro na quarta-feira, e outro cidadão que tb desceu com arma em punho hoje estiveram sim colocando a vida dos manifestantes em risco.
EP – Sobre o RJ:
– Passagem R$ 2,50;
– Integração entre linhas de onibus: NÃO;
– Integração entre metrô, onibus e barcas: NÃO;
Eu morava em Niteroi, e o lobby para nunca abrirem uma licitação e estação de barcas em São Gonçalo beira a imbecilidade. Obriga o trabalhador que mora em SG a pegar 1 onibus até Niteroi, 1 barca até a praca XV, e talvez outro onibus no RJ.
– Total: R$ 7,50;
– Tempo: 2h+;

 LT – Eu sou de pagar pra ver no que vai dar essa manifestação. É complicado discutir o sistema de transporte, valoração de passagem, quais são os fluxos que tem dentro da cidade. Não sei de fato fazer uma avaliação decente sobre o transporte no rio. Achei fácil e confortável ir do Centro para Barra. E aí fica fácil também explicar pq há um bom meio de transporte para essa zona da cidade, área completamente burguesa. Fui para Niterói, mas apenas turistando. Mas o que eu diria, é que não sei se tem tanto fluxo de uma população de baixa renda entre Niterói-Rio. Niterói tem alguma infra-estrutura e mercado de trabalho para absorver essa galera. Mas vê? São muitas coisas a se considerar para dar um veredito. Uma situação complexa, mas que não é impossível de se resolver, desde que haja boa vontade.

Você tava na manifestação? Tanto a coisa tá errada, que esse policial que apontou arma pra galera foi detido. E o outro, o de hoje, foi um civil q colocou arma para cima porque é uma pessoa infantilizada. Há um movimento social, ele não compreende a necessidade desse movimento e não quis entrar na dança. Se sentiu contrariado e por birra apontou a arma para galera. Só que adulto com comportamento infantil é sim um perigo para população. Porque na hora que ele se sentir contrariado não vai pensar duas vezes em disparar. Fui dois dias, e acompanhei atos de revolta sim, mas pacíficos. é uma multidão? Sim. Mas que usa dos seus corpos para se manifestar. Se enfileiram para parar o transito. Cantam, gritam. Mas não agridem. Tiveram atos de maior violência? Sim. Foi incendiado um ônibus. Fato. Mas esses são acontecimentos pontuais. E ainda assim, são atos de reação.

Porque o poder público é burro! Cadê a guarda municipal de trânsito para criar rotas alternativas que desviassem os carros dos locais da manifestação? Carros subiram os canteiros por falta de uma guarda municipal que orientasse o reordenamento do transito. Não só uma manifestação interrompe o tráfico numa via arterial, as vezes um acidente, e a cidade deveria estar preparada para esse tipo de acontecimento. Pois é… quando o interesse é coletivo, alguns benefícios pessoais não podem ser atendidos. Mas ninguém fica completamente sem poder se locomover. Só não vai haver o mesmo fluxo dos dias rotineiros. Por que para que a prefeitura tome alguma providência, precisa haver um impacto. Nada disso estaria acontecendo se houvesse um atuação transparente da prefeitura. Se não houvesse um aumento de mais de 10% no valor de um serviço básico, enquanto não há reajuste no salário dos usuários.

EP – Sobre Niteroi: o fluxo de pessoas de São Gonçalo pro RJ é BRUTAL. Maior que todo o fluxo de onibus em The inteira.

E estava na manifestação sim. Vi como foi que incendiaram o ônibus, e aquilo não foi reação a nada. Acredito até que quem fez aquilo fosse algum malandrinho bem nascido só querendo bagunçar mesmo. É fácil se esconder no anonimato. Fiquei feliz que tem pessoas hoje falando em usar flores na manifestação de amanhã.

LT – Mas população de baixa renda? Mas veja que eu falei que não sabia se havia. E que não podia julgar. Acho natural que qlqr fluxo no rio, ou entre rio-niteroi seja maior do que em Teresina. Teresina não chega a ter 1kk de habitantes (até onde eu me mantive informada). Isso corresponde a que? A população de um bairro no Rio de Janeiro? O que a gente teria para comparar nesse esquema Rio-Niteroi, seria Teresina-Timon, mas se tento fazer isso, vou apelar para um achismo muito grande. Conheço demasiadamente pouco de ambas as realidades. E particularmente se fosse fazer um estudo sério, não sei se partiria para essas analogias.

EP – São Gonçalo é uma cidade-dormitório, tipo Timon, de pessoas de renda baixíssima.

Usei o exemplo pra mostrar um local onde a população costuma se manifestar queimando onibus. E cujos problemas são muito maiores que aqui, e mesmo assim NADA mudou. Amanhã vou estar lá de novo, ajudar a fazer número, mas continuo achando que queimar onibus é coisa de falso-revoltado.

LT – Usar flores na manifestação é bacana. Mas se vc tava na manifestação sabe que os atos de vandalismo são pontuais. O incendio do ônibus foi depois da reunião que houve com o prefeito que se mostrou inflexível em atender a pauta do movimento. E também foi no quarto dia de manifestações. Isso observando apenas essa manifestação em específico. De modo geral, o grupo de manifestante por avolumados que sejam, representam um grupo com menor poder. Além de serem em boa parte estudantes secundaristas, fardados. Imagina o impacto que não causa a esse grupo a figura de uma tropa montada? A figura do batalhão de operações especiais? Apesar do incêndio no ônibus, a coronel Júlia afirmou que a manifestação está sendo pacífica, é o que diz a reportagem aqui http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/09/estudantes-do-piaui-fazem-4-dia-de-protestos-contra-aumento-de-onibus.html

EP – A polícia (tirando as merdas do 1º dia) está até condescendente demais. O pânico das crianças lá era totalmente desmedido quando viam uma farda.

Os atos de vandalismo são pontuais sim, e são eles que estou criticando. Na minha opnião, a PM tá apoiando o movimento, e só uns poucos não percebem isso.

LT – Não sou a favor de queimar ônibus não… só acho que a situação deve ser vista diante da complexidade q ela envolve. Pois é? As crianças chorando quando vêem uma farda pode indicar alguma coisa… seria bom que as crianças ao verem um policial se sentissem seguras e não amedrontadas. Isso porque o significado simbólico construído em cima da figura do policial está se invertendo. Po Napoleão pode ter sido escroto, imperialista, mas ele conseguiu no governo dos 100 dias, retomar o poder, só caminhando =x Sem disparar uma balinha. Há a polêmica se a manifestação tem que ser pacífica ou se só chama atenção com algo mais incisivo. Acho que parar o trânsito é uma boa. Ou que nem tava fazendo hoje a noite, pedindo pra galera descer do carro e empurrar. Ocupar o palácio tb acho uma boa. Fica lá sentando, enchendo o saco do prefeito. Faz festa, toca música, grita.

EP – Acho que vcs tão inflando demais o significado do que tá acontecendo.

Já vi isso antes…

LT – ó, eu nunca vi de perto. Um amigo meu comentou que rolou algo parecido esse ano em Vitória. Mas não sei quanto tempo a manifestação demorou por lá. E como assim inflando o significado? Vc tá falando isso por eu falei em complexidade? xP

EP – Não exatamente pelo que você falou, mas por outros comentários que já vi por aí. Uma pessoa chegou a citar que se sentiu “derrubando o capitalismo” (menos, por favor).

Eu já comemorei derrota do PFL aqui na porta do TRE, acompanhei aquele “movimento” cara pintada, que não passou de massa de manobra do interesse vigente (congresso não tava sendo bem pago pelo collor, e a midia não tava satisfeita tb, então tava na hora de tirar o cara). Sim o Collor saiu, e a turma que ficou era a mesma coisa (sinto vergonha alheia por quem participou daquilo).

Cansa ver os mesmos padrões se repetirem e as pessoas se iludirem achando que agitando pra chamar atenção se constrói algo… Chega daqui a um ano, vão votar no primeiro pateta que usar essa bandeira (mas que vai tomar suas decisões por trás pelos mesmos motivos mais egoístas, como sempre – foi assim com o PT).

Só acredito em movimento construtivos: estudo, trabalho

O que me entristece é que a galerinha que tá aí, num movimento que tem sua validade, talvez seja até mais alienada que a daquele tempo…:(

LT – Sim… eu lembro que faz um tempo eu vi uma galera se manifestando ali no palácio de Karnak e não achei ngm com cara de revoltado, pareciam mais tá se divertindo.

E isso é a graça e a desgraça de um movimento desse. Tem de tudo, tem partido querendo se aproveitar, tem gente que tá achando gostoso tá dentro de uma multidão, tem gente que se aproveita para nos gritos descarregar suas raivas pessoais. Não há um movimento puro em favor da queda do aumento. Mas acho que não haveria condições de existir.

Mas confesse, que não há um certo gosto, egoísta que seja de estar sob os holofotes? Talvez vc não tenha agora (se acompanhou a queda do Collor já deve ter tido uns dias para amadurecer) mas em certas fases da vida é bom se sentir parte de um grande movimento.

Sem contar que as vezes a gente perde o foco na realidade, sonha, imagina, idealiza. Humanos…

Sou a favor de uma orientação construtiva também!

EP – Você encontrou o principal motivo do movimento: se sentir parte de algo grande… Tem os pontos positivos nisso, claro.

Mas eu fico triste com comentários nesse tom: “quero é que exploda…”

Eu não, queria ajudar a contruir uma cidade pacata, cidadã e boa de morar, e não é assim que vai ser.

A prefeitura é fraca, os governantes em geral (dir, esq, todos) são fracos, oportunistas e pouco inteligentes.

Nos somos fracos, oportunistas e não gostamos de estudar.

LT – Mas o que vc enxerga nisso? Eu enxergo pessoas com uma baixa auto-estima, que não acreditam no seu pontencial construtivo e portanto libertador. Baixa auto-estima que é bem vinda para que o sistema permaneça tal qual é… desiquilibrada, excludente. Então, sou a favor de olhar tudo com muita calma e carinho mesmo. E carinho até pelos vandâlos xP Carinho não é permissividade. Os limites tem que ser impostos sim… mas não é sair xingando e reclamando.

Gostei bastante do texto dessa menina!

Mas vou te falar um ponto positivo dessa manifestação. Ela tá movimentando a cidade. Está fazendo as pessoas falarem. Ela é provocativa… taríamos aqui conversando não fosse ela? Ela faz pessoas que discordam discutirem…fato. Mas o importante não está na discussão, está na condição criada para o dialogo. E isso não é bom? Fazer os outros acordarem para se posicionar?

EP – Bem, é certamente uma visão holística e valorável sobre isso tudo. Eu só acho que isso é muito POUCO. É quase um conformismo, tipo: “que massa, a cidade ta um caos, olha como conseguimos algo lutando”, e acham que isso é o caminho suficiente.

Revolta sem educação = Haiti, Somália

Eu não sou nenhum conformado, pelo contrário. Como professor no IFPI tenho a minha “missão”: combater essa baixa auto-estima, arduamente. Meus alunos vão concordar.

Eu acredito que a capacidade criativa, o estudo e o trabalho são a maior força libertadora.

E pra fechar meu ponto. Eu não precisei desse protesto pra ser inconformado e lutar da maneira que falei acima. 99% das pessoas que tão discutindo agora instigadas por isso vão votar nas mesmas pessoas e continuar valorizando pouco o ensino.

LT – São sim. Quando eu falo em potencial construtivo, coaduno com sua ideia de criatividade, estudo e trabalho. A educaçao como libertaçao, Paulo Freire o/ Seria a maior revolução.

A manifestação é um ato pontual. Se olharmos o processo de modo abrangente xP

EP – Correto. O processo é abrangente…

Só queria que mais pessoas LESSEM essa discussão. LERAM?

🙂

Advertisements
One Comment leave one →
  1. Felipe permalink
    September 2, 2011 2:41 pm

    Li professor, concordo com as duas visões… Um movimento como esse não adiantará se não houver uma melhora na educação para não cometermos os mesmos erros de agora futuramente. Mas essa manifestação é fundamental pra todo mundo acordar e atentar para o que precisa ser mudado.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: